A inexorabilidade da dor

Eu sinto meu coração estilhaçado em uma milhão de pedacinhos, porque nada nunca vai justicar o que você fez. A além da inexorável dor que isso me causa, também não conheço - ou não quero pensar - em ninguém com quem eu possa conversar sobre todo esse caos. Não quero fazer mais nada, não sinto vontade e nem consigo pensar em nada que agrade, além de ficar remoendo e me sentindo a pior pessoa existente.
Sinceramente, não sei o que será amanhã, daqui um mês ou até um ano, mas sei que hoje, 10 de fevereiro, eu não consigo te perdoar.

"Meu coração vai se entregar à tempestade."

Provavelmente foram todos os seus “não aguento mais” que me fizeram ter um pouquinho mais de força pra prosseguir sem você. Te amo como sempre, te quero como sempre, te espero como sempre, mas hoje eu tô no meu cantinho e é aqui que permanecerei. 

"Aonde está você agora, além de aqui, dentro de mim?"